• quinta-feira, 14 de novembro de 2019
    Fotos pós-parto mostram a real beleza de uma mãe

    Fotos pós-parto mostram a real beleza de uma mãe



    É grande a cobrança que as mulheres impõem sobre seu corpo no pós-parto. Uma das grandes causas disso é a comparação com padrões de beleza irreais, incentivados por mães famosas que vivem de sua imagem, e que, justamente por isso, precisam aparecer em público extremamente belas pouco depois de dar à luz.
    Mas nós sabemos que essa realidade não faz parte de nossas vidas – pelo menos, de 99% das mulheres que têm um filho. É por isso que as fotos que mostro hoje (um trabalho lindo da  fotógrafa Liliana Taboas são uma libertação, uma amostra de que a real beleza de uma mãe é outra – aquela emoldurada pelo sorriso de seus filhos. E que não há marca no corpo (estria, flacidez, ou algo parecido) que tire seu brilho.
    “(…) Esta mudança [proporcionada pela maternidade] nos faz questionar os padrões de beleza impostos à sociedade que tendem a minimizar ou apagar as mudanças que nossos corpos e corações passam durante a gravidez, parto e pós-parto. Eu queria ajudar a promover uma visão mais saudável e completa dos corpos das mulheres (…)”, desabafa Lili.
    As fotos são acompanhadas de alguns depoimentos feitos em uma entrevista sensível e sincera conduzida por Lili. 
    Você pode acessar o perfil de cada uma das mães clicando em seu nome, ou acessando o site do projeto aqui.
    Vem dar uma espiadinha e descubra-se também uma mulher linda!


     “Foi um pouco difícil, levou três anos para engravidar … Nós estávamos trabalhando com o OBGYN [clínica especializada em gravidez]. No começo, trabalhamos com meus níveis hormonais, então eles me disseram que eu tinha de perder peso. (…) Então eu decidi fazer uma cirurgia de desvio gástrico [bariátrica], que deixou cicatrizes. ”

    “É minha razão de ser. Meu marido me diz o tempo todo que eu nasci para ser mãe.”



    “Eu estava muito hesitante sobre a amamentação. Não queria amamentar. Meu marido é enfermeiro e me convenceu que eu tinha que pelo menos tentar… Fiquei surpresa em como isso aconteceu naturalmente. É, provavelmente, a coisa mais natural que já fiz. ”




    “Às vezes é difícil lembrar… que o que estamos fazendo é incrível. Eu quero me lembrar, mas é tão fácil esquecer.” 

    > Nota: Essa fala de Annie dialoga com o comportamento patriarcalista que minimiza a importância do trabalho da mulher, bem como da maternidade.




    “A maternidade tem sido o maior sacrifício que eu já fiz na minha vida. Desistir da minha carreira militar para ser “apenas” uma mãe foi uma viagem muito difícil de reconhecer. Renunciei a tudo na minha vida para dar foco único aos meus filhos. Nunca foi uma empreitada que planejei. Não era esse o meu caminho de vida previamente planejado. Mas mesmo que minha vida tenha tomado um curso que eu nunca imaginei, agora tenho total aceitação sobre meu papel como mãe, esposa e com meu corpo pós-parto. Meu corpo agora tem curvas frutos de um propósito!”



    “Com a minha primeira eu não estava muito confiante, eu não tinha ajuda. Com a segunda filha, eu tive muito apoio e encorajamento à amamentação.”




    “É difícil, as pessoas dizem que é difícil, mas você não percebe como esses momentos difíceis são difíceis, acho que a parte mais difícil para mim tem sido enfrentar todas as mudanças: na minha vida, no meu casamento e no meu corpo. Foi difícil para mim, mas foi o motivo pelo qual eu queria fazer isso. Você tem de amar seu corpo e eu me sinto hipócrita quando digo como os corpos pós-parto são tão mágicos e que fizeram algo incrível, enquanto olho para o meu próprio corpo e… o odeio! Mas digo a mim mesma: ‘você não pode amar os corpos de todas as outras e odiar o seu próprio. Isso é loucura!‘ Nós somos tão autocríticas.”



    “Eu tive meus dois primeiros filhos com meu ex-marido, e então me casei novamente e nós queríamos ter filhos em comum. Eu pensei: ‘por que não só mais um?‘. (…) As minhas duas primeiras gestações foram fáceis, eu não tive problemas e perdi o peso da gravidez muito rápido, mas nas minhas últimas duas gravidezes tive diabetes. (…)”

    Você pode conferir mais sobre sua história e seus projetos em lilianabeatriz.com. O Divine Mothering também está no Facebook.


    Por: HiperCirativo